quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Pronta pra viver




A pulsação das minhas palavras oscila em um entardecer que acompanho com a alma perdida e pensamento que vagueia dentro de um olhar fixo no horizonte.

O pensamento entra em estado de maturação desnudando o que sou... O que sinto.

Miudezas, outrora despercebidas, tornam-se nítidas, desvestidas pelo medo de não saber o que virá.

Me armo de partículas, moléculas em gotas de vibrações positivas para desbravar esse universo que tanto almejei conhecer e que agora me espera.

Um coração completo. Pronto pra viver o que acontecerá.

Um querer que conquistou seu direito à voz.

Um viver que conquistou seu direito à vez.

Aspirações que nunca couberam por dentro.

Ilusões fragmentadas. Vidraças velhas refletindo, em cortes, o que sou de fato.

Sigo em outros compassos, num passo de cada vez, germino a paciência de respirar friamente mesmo quando o ar está pesado.

Hoje já não me importa em quantos recortes e pedaços meus sonhos foram desfeitos. Retenho minha atenção em fazer com que essas partes se juntem.

Escolho o silêncio muito dito das palavras.

Engulo a pressa e sigo com esse coração bobo e desajeitado. Que não quer mais fingir. Desarma-se do faz de conta. Que entende que as gotas cristalizadas pelo frio interior tendem a derreter quando o sol aparece, nascendo este, das reformas intimas lapidadas em silêncio todos os dias.

Joanna Bravim

Nenhum comentário:

Postar um comentário